As nossas crianças dormem o suficiente?

Tivemos o privilégio de participar na formação sobre “A IMPORTÂNCIA DO SONO E SUCESSO ESCOLAR”, dia 11 Dezembro 2017, organizada pelo Departamento de Educação para a Saúde do Agrupamento de Escolas Artur Gonçalves, a convite de sua Exª Drª Rosário Caldeirão.

Os trabalhos decorreram muito bem, contando com a participação de professores, alunos, pais, elementos da Associação de Pais e comunidade em geral.

Foram focados aspetos importantes do sono na população escolar nomeadamente função do sono e consequências da falta de sono.

Função do sono

  • Conservação de energia, restabelecimento dos vários sistemas orgânicos, crescimento e desenvolvimento do sistema nervoso central, descarga de emoções e promoção de funções cognitivas – memória, organização do pensamento, criatividade, rapidez de reação
  • Estimulação de funções neuroendócrinas – hormona do crescimento (estimulação do crescimento, mineralização óssea, aumento de massa muscular, sistema imunitário). Leptina e Grelina (regulação do apetite e da absorção de alimentos). Melatonina. Outras hormonas: testosterona, cortisol, insulina. Manutenção da regulação da temperatura corporal e da imunidade.

O sono está dependente da produção de Melatonina, produzida pela glândula pineal durante a noite e inibida pela luminosidade. Tem um ritmo circadiano, cerca de 2H antes do início do sono, maturação do ciclo cerca dos 6M de idade e atraso de secreção na adolescência. Luz e aparelhos eletrónicos inibem sua produção. Daí que TV e aparelhos eletrónicos não sejam aconselhados ao jantar e no quarto

Privação de sono:

  • Deficit de atenção /Hiperatividade. Perturbação da memória e concentração. Dificuldades escolares
  • Sonolência diurna
  • Alterações do comportamento/ birras / oposição / humor instável
  • Acidentes
  • Aumento de risco cardiovascular, imunológico e metabólico – OBESIDADE (redução dos níveis de Leptina e aumento dos níveis de Grelina favorecendo a Obesidade. Também ficam com mais tempo para comer, menos ativos e fisicamente mais cansados com tendência a sedentarismo).

Com base em vários estudos efetuados e as normas cientificamente estabelecidas, concluímos que a maioria dos nossos jovens, dormem menos que o desejável, apresentando sintomas de privação de sono acima mencionados, que são corrigidos apenas com uma boa alimentação, ambiente, atividades e  rotinas de sono implicando estratégias educativas, familiares e individuais.

Leia aqui também o artigo publicado em junho de 2016 dobre este mesmo tema.

“Deitar cedo e cedo erguer dá saúde e faz crescer”

Artigo escrito por Ermelinda Júlia – assistente hospitalar senior de Pediatria

Se gostou partilheShare on FacebookShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someonePin on PinterestTweet about this on TwitterPrint this page