A alergia alimentar

Estivemos presentes no Workshop A alergia alimentar, ministrado pelo Dr. Libério Ribeiro, no dia 27 de junho de 2015, Torre Zen, Parque das Nações.

É reconhecida a importância da alimentação nos primeiros 1.000 dias de vida (da conceção aos 24 M de idade), na promoção da saúde do individuo.

No perí­odo pré natal, a genética ê influenciada pelo ambiente (alimentação e outros fatores) “epigenética e a (re)programação daí­ resultante ê determinante na saúde futura do novo ser (ver artigo anterior sobre este assunto).

Sabe-se que cerca de 80% das doenças crónicas são devidas a este fenómeno.

No perí­odo natal e pós-natal ê importante o papel do parto normal e leite materno, promovendo a colonização intestinal ê microbiota, que tem funções nutritivas, metabólicas, proteção e defesa, modulação e regulação do sistema imunológico. A barreira intestinal representa 85% do nosso sistema imunitário. O aumento de prevalência de alergia, ê determinado pela falta de estimulação microbiana após nascimento. Também se discute a teoria da higiene. Ambiente estéril facilita infeção e alergia. Venham a nós os nossos gérmenes de cada dia!

É vasta a investigação sobre necessidades nutritivas do bebê, tendo por base a composição do leite materno, a fim de fornecer todos os elementos e fatores de crescimento e promoção da saúde, entre os quais oligossacáridos (GOS e FOS) e acido gordos polinsaturados de cadeia longa (LCPUFAS).

Como prevenção de Doença alérgica ê importante:

  • que mães e crianças tenham uma alimentação adequada; evitar tóxicos e exposição alergénica;
  • promover o parto normal (desejável que a taxa de cesarianas no nosso país baixasse dos 34%);
  • promover o aleitamento materno, “autêntica orquestra” que quando bem proporcionada, leva a um excelente desenvolvimento da criança, nomeadamente imunitário;
  • se necessário leite artificial, fórmulas hidrolisadas até aos 4M.
  • leites artificiais suplementados com pró (FOS e GOS)/pré bióticos (lactobacilos e bifidobactérias). LCPUFAS também melhoram o desenvolvimento neurológico e olho;
  • leite materno exclusivo acompanhando a diversificação alimentar que deve ser sempre iniciada aos 4-6M idade. Não há evidência que protelar o iní­cio da diversificação, tenha efeito protetor na alergia e a introdução precoce dos alimentos até pode ser benéfica.

(artigo escrito por Ermelinda Júlia, Assistente Hospitalar Sénior de Pediatria)

Agradecimento ao Dr. Libério Ribeiro por seus ensinamentos e Gisela da Milupa pela colaboração na informação.